210 anos de biodiversidade na Zona Sul carioca

Jardim Botânico do Rio é uma das mais antigas e importantes instituições de preservação ambiental do país

Criado em 1808, a partir de uma iniciativa do príncipe D. João VI, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) tinha o objetivo de aclimatar espécies vegetais de diversas partes do mundo. Em outros tempos, seu atual espaço de recreação infantil também serviu como instalação para uma fábrica de pólvora, que foi desativada em 1831 por conta de explosões.

Localizado no bairro de mesmo nome, na Zona Sul, o Jardim Botânico é um dos mais importantes pontos turísticos do Rio e detém uma área que totaliza 137 hectares, sendo 54 deles cultivados. Além disso, abriga coleções raras de bromélias, orquídeas, plantas exóticas, árvores centenárias e obras do início do século XVI, como o Jardim Japonês, criado em 1935 a partir da doação de 65 espécies originárias do Japão.

No ano de 1995, recebeu o título de Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, tornando-se um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. O instituto tem como missão promover e divulgar estudos, pesquisas e coleções científicas para educar a sociedade a respeito da importância de conservar a biodiversidade e é responsável por administrar o Jardim.