“Minha mãe me inspirou, devo tudo à ela”

Conheça casos de filhas que se inspiraram nas mães para empreender

Arte da capa por Jefferson Araujo

Matéria por Luis Felipe Granado

”A determinação, a vontade e a excelência com que minha mãe faz tudo, me inspiram até hoje”

Danielle Alexandre, filha da Mariângela, cresceu observando a mãe, que era depiladora em salão, e assim aprendeu sobre o universo da beleza. 

“Minha mãe sempre trabalhou muito, fez de tudo na vida, até que ingressou na área da beleza. Sempre vi aquela movimentação de mulheres, mas nunca me interessei”, lembra Dani. 

O ponto de inflexão se deu quando ela se tornou modelo da própria mãe, nos cursos sobre estética facial que ela lecionava. A percepção dela mudou, a vivência e o empenho da mãe fizeram com que ela se apaixonasse pela área da beleza. 

Ela, que se formou em pedagogia e dava aula para crianças, decidiu que iria “virar a chavinha” do empreendedorismo, e foi cursar estética. 

“Durante os cursos que eu fazia, os papéis se inverteram e a minha mãe se tornou a minha modelo”, conta Dani.

dani e mãe
Danielle e a mãe na clínica de estética

 

Danielle se especializou, e em 2008 montou o próprio negócio. Em sociedade com a mãe, abriu um salão de beleza que evoluiu para um clínica de estética.

Este Dia das Mães será ainda mais especial para a família com a chegada do pequeno Davi, que já conta com o suporte da avó Mariângela. “A Dani, minha filha, se tornou mãe, e juntas dividimos os cuidados do bebê e o trabalho. Graças a Deus estamos superando a pandemia e seguimos buscando novas conquistas”, declara.

dani filho
Dani e o filho Davi

 

Camilla e Ana Paula Guzzo
Camilla e Ana Paula Guzzo

 

Outro exemplo de sucesso é a Camila Guzzo. De origem humilde, viu sua mãe conquistar seus sonhos trabalhando em uma loja de colchões. Ela decidiu seguir seus passos, mas acabou indo muito além. Após ingressar na rede como vendedora, Camila tornou-se gerente, bateu metas e hoje fatura R$ 1,9 milhão por ano como franqueada.

“Como empregada, vi minha mãe comprar um carro, um apartamento financiado e fazer viagens internacionais, o que não era comum na nossa família. Foi nítida a mudança financeira dela e eu quis seguir o exemplo que, na minha opinião, é de sucesso”, diz orgulhosa a empreendedora.

Porém, a trajetória da Camila não foi das mais fáceis. Com 21 anos, foi recusada no processo seletivo da empresa por falta de experiência.

“Passei a estudar o mercado, conhecer os produtos e a me preparar para que em uma próxima oportunidade eles falassem comigo e pensassem: ‘queremos essa menina no time'”, lembra.

Com a experiência adquirida, Camila enfim entrou na empresa em 2015. Como vendedora, bateu todas as metas da empresa.

“Foi um período em que eu me dediquei muito ao trabalho, de fato era algo que eu queria ser a melhor e fazer da melhor forma. Abri mão de muita coisa inspirada na minha mãe”, afirma a empresária.

Depois de um ano e meio como vendedora, e dois anos de gerência, ela decidiu dar um passo maior e abrir sua própria franquia da loja de colchões. “Entrei lá com essa meta e, com o passar do tempo e meu conhecimento do mercado, me senti pronta para tentar”.

“A Camila não é um orgulho apenas para mim, não! Ela é um orgulho para a família inteira! Ela, desde pequenininha, sempre foi muito determinada. Tudo o que ela quer, ela consegue”, conta Ana Paula Guzzo, mãe da empresária. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *